Windows XP, O Fim

microsoftwindowsxp2gn

  O aumento exponencial dos custos de uma empresa que opte por manter o Windows XPcomo o seu sistema operativo depois de 8 de Abril de 2014, altura em que Microsoftdeixa de suportar este software, é a principal conclusão do estudo «Riscos e Custos de Manutenção do XP nas organizações nacionais» realizado pela IDC.

  Na realidade, e apesar da consultora calcular que até ao final deste ano 33% das empresas ainda utilizem o Windows XP (o Windows 7 já representa cerca de 50% da base instalada de PC empresariais e o Windows 8 representa 11%), a verdade é que se todas as organizações optarem por não migrar para um software mais moderno, o custo potencial de manutenção do sistema mais antigo é de 255 milhões de euros.

As mais afectadas são as pequenas e médias empresas (PME), que terão de suportar mais de metade deste valor, não só por serem o maior segmento de utilizadores de Windows XP mas também porque aqui o custo de gestão de um PC é mais elevado e o downtimetem maior impacto na produtividade.

Este aumento dos custos deve-se à inexistência de patches de correcção das vulnerabilidades existentes, e consequente crescimento exponencial das ameaças.

IDC Portugal estima que, no final de 2013, 33% dos sistemas operativos de PC instalados nas organizações ainda sejam Windows XP. Com o fim do suporte ao Windows XP, a analista de mercado prevê que a base instalada deste sistema represente, somente, 3% no final de 2017. Gabriel Coimbracountry manager da IDC Portugal, explica os custos e os riscos associados à manutenção de um sistema operativo que vai deixar de ter suporte.

Quais os custos e riscos actuais em manter o Windows XP?

Gabriel Coimbra – Devido aos custos operacionais de TI, decorrentes do suporte técnico aos postos de trabalho dos utilizadores, e aos custos operacionais dos utilizadores finais, resultantes do impacto da manutenção ou de problemas ocorridos com o posto de trabalho, hoje, um PC com Windows XP tem um custo anual de 548 euros, enquanto este custo é de 150 euros para o Windows 8.

Quais os custos e riscos após 2013?

G.C. – A partir de Abril de 2014, quando o sistema operativo Windows XP deixará de ter suporte pela Microsoft – que se vai traduzir na inexistência de patches de correcção das vulnerabilidades existentes, o que significará um crescimento exponencial das ameaças e consequentemente dos custos. Neste contexto, o custo acumulado para manter um PC com Windows XP nos próximos três anos (de 2014 a 2016) poderá atingir os 2.238 euros, enquanto este custo acumulado de um PC com Windows 8 é de apenas 606 euros, uma diferença de 1.623 euros, que representa uma diferença de cerca de 73%.

Porque é que as PME são as mais afectadas sem a migração?

G.C. – Nas pequenas e médias empresas, onde verificamos que uma grande parte destas organizações não dispõe de técnicos informáticos próprios e/ou contratos de suporte estabelecidos, assim como a economia de escala e poder de negociação são diminutos, o custo médio para o suporte do parque de PC é muito superior ao das grandes empresas. Neste contexto concluímos que no caso da manutenção do Windows XP nos próximos três anos (de 2014 a 2016), o custo acumulado por PC nas pequenas empresas poderá chegar a 2.785 euros, o que representa mais 65% do custo acumulado numa grande empresa

Este custo acumulado cresce também em função do número de PC de cada organização, por exemplo, o custo acumulado para uma empresa manter 100 PC com Windows XP é de 223.794 euros, enquanto o Windows 8 terá um custo acumulado de 60.625 euros.

Qual o retorno do investimento potencial na migração para o Windows 8?

G.C. – Neste contexto de custos crescentes com a manutenção dos PC com Windows XP, este estudo concluiu que as organizações que investirem 502 euros num PC com Windows 8 (HW e SW) poderão ter benefícios de 998 euros por PC ao longo de três anos. O Retorno do investimento (ROI) é de 99%.

Qual o impacto económico?

G.C. – A IDC concluiu que, se todas as organizações optarem por não efectuar a migração do Windows XP para versões mais recentes do Windows, o custo potencial para a totalidade destas empresas atingirá os 255 milhões de euros em 2014. O maior potencial de perda, mais de 50% dos 255 milhões de euros, reside nas pequenas empresas onde o custo de gestão de PC é mais alto e o downtime tem maior impacto na produtividade, bem como por representarem o segmento com maior número de PC com Windows XP em Portugal.

Anúncios

Sobre Rosdet Nascimento

Nasci em 1985 em São Tomé e Príncipe, mas vivi toda a minha vida no concelho de Cascais. Tenho formação na área de informática, mas sou administrativo numa grande multinacional, dizem que a maior delas. Além da escrita e do cinema, sou amante de desportos como Running e Krav Maga. Guerreiro é o meu primeiro romance.
Esta entrada foi publicada em Windows. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s